Álbuns gráficos para o desenvolvimento

A necessidade de construir lugares de encontro, reflexão e diálogo, a respeito dos problemas que afetam as crianças e os jovens nas suas vidas diárias, pode ser facilitada pela disponibilização, leitura ou, mesmo, exposição de álbuns gráficos, selecionados pelo professor bibliotecário, de preferência “em cooperação com os alunos para garantir que os materiais refletem os seus interesses e cultura” (IFLA, 2015, p. 40).


Tendo crescido numa comunidade mediática impregnada de imagens visuais (internet, jogos de computador, televisão ...) e convivendo com diversas populações que possuem diferentes competências e estilos de aprendizagem, as crianças e jovens podem encontrar na novela gráfica um elemento de consenso favorável à reflexão, discussão de ideias e descoberta da própria voz ou meio de influência na comunidade. Combinando imagens visuais a textos, muitas vezes curtos e simples, este género literário adapta-se a uma aprendizagem não-formal e informal que pode suscitar a curiosidade de todos, sem perder o seu propósito educativo.


Para fins de leitura por prazer e de apoio ao currículo, um dos eixos do mercado editorial internacional atual nesta área, consiste na publicação de livros que promovam a diversidade e a empatia e reflitam sobre os problemas reais que afetam as pessoas em todo o mundo. Inclusive, existem projetos editoriais que valorizam a captação do talento de pessoas marginalizadas na sociedade para que, com base na sua experiência ou vivência, criem personagens e histórias mais genuínas que reflitam a complexidade do mundo atual. Alguns dos projetos existentes nesta área são os seguintes:

Estes projetos despertam a atenção para a necessidade de alargar e de tornar mais consentâneas com a realidade as representações de identidades e de experiências na literatura, para que todos os leitores, sem exceção, encontrem nela elementos de

RBE. Cidadania e Biblioteca Escolar – Pensar e intervir https://www.cidadania-rbe.pt/

ligação às suas próprias vidas e para que grupos tradicionalmente marginalizados no mercado editorial (mulheres, negros...) possam encontrar nele, finalmente, a sua voz.

Também no idioma português existem projetos editoriais infantis e juvenis que favorecem a autenticidade da experiência de criação literária, ao serem escritos e ilustrados a muitas mãos, com base na criação de oficinas abertas à imaginação e expressão de elementos do seu público-alvo. A publicação de alguns destes livros resulta de um processo coletivo de financiamento (crowdfunding) que as crianças e jovens ajudaram a organizar.

Ainda no género literário do álbum gráfico começa a existir em Portugal uma oferta de títulos que questiona estereótipos (normalização) e traça um retrato dos desafios para o desenvolvimento, capaz de despertar consciências e induzir à transformação pessoal e coletiva. Por este motivo e, tomando em consideração, quer a qualidade da escrita, da ilustração e da ligação entre ambas, quer a atualidade das propostas (datam dos últimos dez anos), procedemos a uma seleção de álbuns gráficos publicados no mercado nacional que podem ajudar ao envolvimento e discussão de temas como os seguintes:


  • Crise climática e desenvolvimento sustentável;

  • Direitos humanos e injustiça (pobreza, refugiados, racismo, doença mental, deficiência, velhice...);

  • Democracia;

  • Igualdade de género;

  • Bem-estar e resiliência.


A proposta de álbuns gráficos apresentada encontra-se em construção e não dispensa, naturalmente, que cada leitor, descubra e decida qual é o melhor livro para si, de acordo com as suas necessidades, aspirações e projeto de vida, bem como biblioteca e comunidade a que pertence. O importante é que a sua relação com o livro - álbum gráfico ou outro - contribua para alargar e aprofundar a construção do seu caminho para uma sociedade mais justa, cuidadora e empática.


RBE_rect.png
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook